Oficina de Ogãs

 

A Oficina de Ogãs Pai Joaquim de Angola leva este nome, pois no Templo Estrela do Oriente, toda a parte de “estudo”, temos como responsável a entidade Pai Joaquim de Angola e entendemos que a oficina é mais uma forma de estudo e desenvolvimento mediúnico.

Nossa oficina ocorre todo o primeiro sábado do mês e até o momento, é exclusiva para os ogãs da casa e aspirantes. O objetivo é lapidar os ogãs, adequando cada irmão às formas de trabalho de nossa casa. Costumamos dizer que não fazemos aula de atabaque ou aula de ogãs, pois entendemos se tratar de um dom e que precisamos apenas desenvolvê-lo, com trocas de conhecimento e treino, muito treino.

Treinamos os principais toques utilizados nas giras de umbanda, tais como: Congo, Ijexá, Cabula e principalmente o Cavalgada, que é o toque mais utilizado nas giras do Templo Estrela do Oriente. O cântico é um outro ponto muito importante, que também é trabalhado em nossa oficina. Fazemos a “simulação” das nossas giras, desde a abertura até o fechamento, com suas respectivas saudações, brados, tentando sempre melhorar cada vez mais.

Para que um aspirante se torne um ogã do Templo Estrela do Oriente, primeiro a pessoa deve fazer o curso “A Umbanda Sem Fronteiras”, este que é obrigatório para a entrada como médium, logo após será iniciado na oficina, onde após alguns encontros, de acordo com a avaliação do responsável, a decisão será passada para aprovação da entidade Cabocla Jurema da Praia (entidade dirigente) ou aos dirigentes espirituais (Flávia e Luis Fernando Barros). Se os mesmos estiverem de acordo, o aspirante se tornará ogã e participará das giras de público e de desenvolvimento.

Principais tópicos abordados na oficina:

– Aperfeiçoar Ogãs em exercício e em formação, bem como demais adeptos e futuros médiuns que detenham dons musicais;

– Conhecendo os pontos de Chegada de falange, Firmeza de gira, Descarrego, Traçado, de Demanda, de Advertência, Louvação, Cura, Raiz, Misericórdia, Mudança de falange, Defumação, Agradecimento, Subida de falange, Abertura de sessão, Obsessão e/ou Desobsessão Fechamento de gira

– Orixás, Toques, Cânticos e suas Variações;

– Os Cuidados Necessários ao Entoar os Pontos Cantados.

– As giras de Trabalho, de desenvolvimento, festiva, de desobsessão e a postura dos Ogãs;

– Orixás, Toques, Cânticos e suas Variações”.

Responsável pelo Projeto: Fernando Barros

Back to Top